Ao VivoPRESSIONE o botão PLAY para reproduzir a Rádio
Evangelho de Jesus Cristo leproso de joelhos

Evangelho de Jesus Cristo leproso de joelhos

Glória a vós, Senhor.

Evangelho (Mc 1,40-45): Naquele tempo, um leproso chegou perto de Jesus, e de joelhos pediu: “Se queres, tens o poder de curar-me”. Jesus, cheio de compaixão, estendeu a mão, tocou nele, e disse: “Eu quero: fica curado!” No mesmo instante, a lepra desapareceu, e ele ficou curado. Então Jesus o mandou logo embora, falando com firmeza: “Não contes nada disso a ninguém! Vai, mostra-te ao sacerdote e oferece, pela tua purificação, o que Moisés ordenou, como prova para eles!”

Ele foi e começou a contar e a divulgar muito o fato. Por isso Jesus não podia mais entrar publicamente numa cidade: ficava fora, em lugares desertos. E de toda parte vinham procurá-lo.

Palavra da Salvação.

Homilia

Depois de curado, aquele leproso começa a divulgar o fato, mesmo que Jesus tenha lhe pedido para não o divulgar, ele começa a falar sobre a fama de Jesus. Isso teve um preço; e Jesus teve de pagar. 

Agora, aqui, começa uma inversão — porque, na vida do leproso e na da Jesus, as coisas mudam, pois isso acontece quando entra o amor —, o leproso retoma a sua vida social, ele volta para o convívio, para o contato com o mundo e com as pessoas, ele está purificado, pode voltar a frequentar o templo, a se dirigir às pessoas, a falar com Deus; pode conviver, pode ir e vir quando quiser. No entanto, agora, é Jesus quem é isolado, Ele não podia mais entrar na cidade. Aqui acontece o amor. Quem ama está disposto a assumir o lugar do outro; quem ama está disposto a pagar um alto preço.

Que grau de comprometimento você tem com a vida de alguém? Que disposição você tem para pagar o preço por amar alguém? Pode ser alguém da sua família ou quem esteja bem perto de você. Você está disposto a pagar o preço para viver esse amor?

É uma boa oportunidade que o Evangelho de hoje nos dá: refletirmos se o nosso amor é, de fato, gratuito, desinteressado, livre… Ou se é um amor interesseiro, possessivo. Além disso, o Evangelho nos dá também a oportunidade de mergulhar o nosso coração nesta experiência profunda de amor que Jesus faz: de colocar-se no lugar do outro, de ter a coragem de assumir o lugar do outro, porque, agora, é Jesus o leproso, é Jesus quem tem que ficar em lugares desertos, fora da cidade, isolado; esperando que alguém fosse ao seu encontro.

E esse é o amor de Deus. Ele assume o meu (e o teu lugar) e pagou o preço com a própria vida para salvar a mim e a você! Sobre todos vós, a bênção do Deus Todo-poderoso. Pai, Filho e Espírito Santo. Amém! Padre Donizete Ferreira

Entre e Participe: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

%d blogueiros gostam disto: