PRESSIONE o botão PLAY para reproduzir a Rádio
Ceará tem média diária de 11,5 mortes por Covid-19 nas últimas duas semanas

Ceará tem média diária de 11,5 mortes por Covid-19 nas últimas duas semanas

Durante esse período, foram registrados 161 novos óbitos pelo novo coronavírus.

O Ceará registrou uma média de 11,5 mortes por Covid-19 por dia nas duas últimas semanas, de 7 de julho até terça-feira (20), conforme dados da plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa).

Durante esse período, foram registrados 161 novos óbitos pelo novo coronavírus no Estado, que até esta quarta-feira (21) contabiliza 23.287 mortes pela doença desde o início da pandemia, segundo atualização do IntegraSUS às 17h de quarta-feira (21).

O maior incremento diário de óbitos pela doença das duas últimas semanas ocorreu do 6 para o dia 7 de julho, quando houve registro de 26 novas mortes pelo novo coronavírus, em comparação ao dia anterior. Entretanto, isso não significa que todos os óbitos ocorreram no mesmo dia.

O Estado segue em tendência de queda de óbitos diários pelo novo coronavírus. No pico da primeira onda da doença, em maio de 2020, o Ceará chegou a ter uma média de 153 mortes por dia. Já no pico da segunda onda, em abril deste ano, a média diária de mortes por Covid-19 foi de 121 óbitos.

Ceará tem mais de 1,4 milhão de pessoas imunizadas contra a Covid-19

Vacinação e redução nas mortes

A redução no número de mortes ocorre no estado desde que a campanha de vacinação avançou no estado e nas demais cidades do país.

Com a vacinação, algumas pessoas podem ficar doentes depois de tomar as duas doses, mas são consideradas exceções, como explica a ex-coordenadora do Plano Nacional de Imunização Carla Domingues.

“Esses casos são raríssimos. Todas as vacinas estão demonstrando que elas vão proteger acima de 90% para esses casos graves. Então, pode acontecer de termos pessoas que pela sua condição clínica, organismo não conseguira criar os anticorpos necessários para proteger aquela pessoa. Mas nós estamos vendo que esses casos são raríssimos e estão diminuindo cada vez mais”, afirma.

Fonte: G1 CE

Entre e Participe:

%d blogueiros gostam disto: